sexta-feira, 27 de março de 2015

CLASSES GRAMATICAIS

SUBSTANTIVO - ADJETIVO - ARTIGO - NUMERAL


CLASSES GRAMATICAIS – Profª  Antônia de Fátima Fuini
1. SUBSTANTIVO dá nome aos SERES em geral: Fátima, amor, pessoa, felicidade, Deus, passarinho, nuvem, céu, ar,
CLASSIFICAÇÃO:
Simples: formado por um único elemento. Ex: chuva, flor, moleque, pé.
Composto: formado por dois ou mais elementos, como guarda-chuva, couve-flor, pé-de-moleque.

Primitivo: dá origem a outros substantivos: pedra, mão, casa.

Derivado: formado de um primitivo: pedreiro, pedrinha, manual, casamento.
Comum: nomeia seres da mesma espécie. Ex.: cachorro, menino, rua, homem, mulher, país, casa.

Próprionome de pessoas, locais específicos. Ex.: Antônia, Brasil, Rua Paraná, Mariana, Museu Ipiranga.

Coletivo: indica um conjunto de seres. Ex.: ramalhete (flores) alcateia (de lobos).

Concreto: nomeia um ser de existência independente de outros seres. Ex.: caneta, árvore, livro, ar, Deus.

Abstrato: nomeia seres cuja existência depende de outros(ação, sentimento, qualidade):amor, alegria, beleza.

Observação: Dependendo do contexto, o mesmo substantivo pode ser concreto ou abstrato. Exemplo.
O governo incentivou a plantação de cana-de-açúcar. (plantação= ato de plantar: abstrato)
O fogo destruiu a plantação de cana-de-açúcar. (plantação= roça: concreto)

O Substantivo se flexiona em gênero, número e grau:

1.Gênero: masculino e feminino:

A. Biforme ( duas formas) uma para o masculino e outra para o feminino:
Ex.: cavaleiro – amazona; cavalheiro – dama.
B. Uniforme (uma só forma para o feminino e o masculino) Dividem-se em:
1) comum-de-dois ( a diferença é marcada pelo artigo) o artista –  a artista; o motorista – a motorista; um dentista – uma dentista, o jovem -  a jovem; o estudante - a estudante.
2) Sobrecomuns: uma só forma tanto para o masculino quanto para o feminino
A vítima, a criança, a pessoa, a testemunha, o cônjuge. A diferença se faz pelo contexto. Exemplo: A vítima era um rapaz. A criança era um lindo menino. Um dos cônjuges faltou, a esposa.
C. Epicenos ( refere-se a  alguns animais) jacaré macho, jacaré fêmea; borboleta macho, borboleta  fêmea.
Cuidado! Há muitos substantivos que mudam de sentido quando mudam de gênero. Exemplo:
O capital (dinheiro) A capital (cidade). O grama ( peso) ; A grama (planta, relva).
2.Número: singular e plural. Ex.: troféu - troféus; degrau - degraus; papel -  papéis; chapéu – chapéus; café- cafés; arroz= arrozes; gravidez=gravidezes
3.Grau: Aumentativo e diminutivo.
1. Aumentativo: barca= barcaça, cão = canzarrão, nariz  = narigão.
O aumentativo também pode ser feito com o acréscimo do adjetivo “grande” ou “enorme”
Exemplo: quadro = quadro grande; botão = botão grande, botão enorme.
2. Diminutivo:  criancinha, barquinha, cãozinho, narizinho.
Observação: o diminutivo pode ser usado para indicar forma carinhosa ou pejorativa:
 Aquele é meu doutorzinho preferido. 
Aquele  doutorzinho não sabe nada.

2. ADJETIVO
 Palavra que modifica o substantivo indicando-lhe UMA CARACTERÍSTICA: qualidade, aparência ou modo se ser.
Locução adjetiva: preposição + substantivo com valor de adjetivo. Exemplo: de mãe= materno. Da tarde= vespertino; de pai= paterno.
Observação; nem sempre as locuções adjetivas têm adjetivos correspondentes. Exemplo: de madeira, de vidro, de infância, de papel; de rua; de primeira.
As locuções adjetivas são invariáveis, isto é não vão para o plural. Exemplo mesa de madeira (mesas de madeira; copo de vidro (copos de vidro)
O adjetivo se flexiona em gênero, número.
A) gênero: masculino e feminino
 Aluna inteligente / aluno inteligente
 Menino estudioso / menina  estudiosa.



B)número: singular e plural:
Amigo fiel – amigos fiéis, classe  unida, classes unidas, exercício fácil – exercícios fáceis, projeto avançado, projetos avançados.
O adjetivo classifica-se em s primitivo e derivado, simples e composto.
a) primitivo – não derivam de outras palavras. Exemplo: bom, fácil, lindo.( bondoso, facílimo, lindíssimo)
b) derivado – deriva de outro adjetivo ou de substantivos e verbos.Exemplos: carnavalesco, gigantesco, rochoso, amável, sonoro..
Adjetivos compostos – formados de dois ou mais adjetivos caracterizando um substantivo.
Exemplo – acordo entre Portugal, França e Brasil: acordo luso-franco-brasileiro
Plural dos adjetivos compostos: somente o ultimo elemento vai para o plural. Exemplo:
Acordos luso-franco-brasileiros

3. ARTIGO: principal determinante do substantivo. Os artigos podem ser:
  1. definidos: o, a,os, as – definem o substantivo especificando-o ou tornando diferenciado.
  2. Indefinidos: um, uma,uns, umas; generaliza o substantivo.
Exemplo: Não vou dar UMA festa, mas A festa. (Não uma festa comum a todas as outras , mas uma festa especial.)
O artigo também determina o gênero do substantivo comum de dois gêneros; Exemplo
O artista/a artista; o estudante/a estudante.
Observação: O artigo substantiva qualquer palavra. Exemplo: O viver pertence a Deus.
Faça valer o  sim. O  não  nem sempre é definitivo.

4. NUMERAL; PALAVRA QUE INDICA QUANTIDADE, ORDEM, POSIÇÃO.
Classificam-se em: Cardinais, Ordinais, Multiplicativos, Fracionários:
  1. Cardinais: um, dois, três... dez, vinte, trezentos, mil...
  2. Ordinais: primeiro, segundo, terceiro... décimo, trigésimo, milésimo
  3. Multiplicativos: o dobro, o triplo, o quádruplo...
  4. Fracionários: a metade, um terço, um quarto, a terça parte de...



Revise seu texto antes de publicá-lo. Se não for da área de língua portuguesa, procure um revisor.



OBSERVE O ANÚNCIO ABAIXO:




Cuidado com as palavras homônimas homófonas( mesmo som, grafia diferente)
1. Enfrente :verbo
Enfrente a situação com coragem.

2. Em frente: locução adverbial
Moro em frente ao colégio onde estudo.

segunda-feira, 23 de março de 2015

CLASSES GRAMATICAIS

CLASSES GRAMATICAIS - RESUMO

Classes gramaticais
Função ou sentido
Palavra que serve para nomear os seres, objetos, sentimentos, nomes de lugares: Antonia, livro, amor, saudade, Itapira, Av. Paoletti.
Substantivos de dois números
 que têm a mesma forma para o singular e o plural: lápis, vírus, ônibus, pires.
Substantivos de dois gêneros
 têm a mesma forma para seres de ambos os sexos, sendo o gênero marcado pelo artigo ou pronome que os precede. Exemplos: o/a colega, o/a agente, o/a lojista, este/ esta estudante.
Substantivos sobrecomuns
têm a mesma forma para o masculino e o feminino, não variando sequer o artigo adjetivo, ou pronome  que os acompanha. Exemplos: a pessoa, a criança, o cônjuge, o monstro, a testemunha, criança esperta, aquela vítima.
Verbo
Palavra que expressa ação, estado ou fenômeno da natureza. É a classe gramatical mais rica em variação de formas, podendo mudar para exprimir modo, tempo, pessoa e número . No dicionário, são encontrados no modo infinitivo, ou seja, o nome do verbo. Exemplos: Fugir, estar, chover, comprar, ser, anoitecer.
Adjetivo
Palavra que se relaciona com o substantivo para lhe atribuir uma característica. Exemplos: mulher linda, livro divertido, árvore alta, olhos azuis, sujeito mau.
Adjetivo de dois gêneros
 mantém a mesma forma tanto para o masculino quanto para o feminino. Exemplos: a sugestão aceitável, o convite aceitável, o rapaz adorável, a moça adorável, o professor competente, a professora competente.
Adjetivo ou substantivo?
Trata-se de palavra que pode ser classificada como adjetivo ou como substantivo e mantêm a mesma forma para os dois gêneros. Exemplos: Um jovem rebelde (neste caso, jovem é o substantivo e rebelde, sua característica, o adjetivo). Um rebelde jovem (neste caso, rebelde passa a ser substantivo e jovem, adjetivo)
Observação: há rebelde que não é necessariamente jovem)


Artigo
 
Palavra que se coloca antes do substantivo, determinando-o e indicando seu gênero e número (artigo definido: a, as, o, os) ou (artigo indefinido: um, uma, uns, umas).O emprego do artigo pode mudar a semântica da palavra. Exemplo:
Não vou dar uma festa, mas a festa.
Pronome
Palavra que substitui, retoma o nome ou que o acompanha para tornar claro o seu significado. Os pronomes se dividem nas seis  classes:
Pronomes pessoais
Designam as três pessoas do discurso (no singular ou no plural).Pronomes retos: Eu, tu, ele, ela, nós, vós, eles, elas. Pronomes oblíquos átonos: me, te, se, lhe, o, a, nos, vos, se, lhes, os, as. Pronomes oblíquos tônicos  mim, comigo, ti, contigo, si, consigo, conosco, convosco.
Também são pessoais os pronomes de tratamento: você, o senhor, a senhora, Vossa Senhoria, vossa Excelência, etc.
Pronomes possessivos
Indicam a posse em relação às pessoas do discurso: Meu, minha, meus, minhas, nosso, nossa, nossos, nossas, teu, tua, teus, tuas, vosso, vossa, vossos, vossas, seu, sua, seus, suas.
Pronomes demonstrativos
Indicam o lugar ou a posição dos seres em relação às pessoas do discurso.
1ª. Pessoa: Este, esta, estes, estas, isto.
2ª. Pessoa: Esse, essa, esses, essas, isso.
3ª. Pessoa: Aquele, aquela, aqueles, aquelas, aquilo.
Pronomes relativos
Representam numa oração os nomes mencionados na oração anterior. Exemplo: O livro que comprei é muito bom. Esta é a garota a quem me referi. São pronomes relativos: Que, quem, quanto(s), quanta(s), cujo(s), cuja(s), o qual, a qual, os quais, as quais.

Pronomes indefinidos
Referem-se à terceira pessoa do discurso num sentido vago ou exprimido quantidade indeterminada. Exemplos: Quem espera adquire paciência. São pronomes indefinidos mais comuns: algum, nenhum, qualquer, ninguém, alguém, algo, todos, tudo, vários.
Pronomes interrogativos
Os pronomes indefinidos que, quem, qual, quanto, quando são usados para formular uma pergunta.
Numeral
Palavra que designa os números ou sua ordem de sucessão. Exemplos:
Cardinais: quatro, vinte, trinta.
Ordinais: quarto, vigésimo, trigésimo.
Fracionários: meio, um terço, um quinto.
Multiplicativos: duplo, triplo, quádruplo
Classes gramaticais
Função ou sentido
Advérbio
Palavra que modifica o verbo, o adjetivo ou outro advérbio, expressando uma circunstância. Exemplos: lugar( ali, lá, aqui) Tempo( cedo, tarde, imediatamente) negação( não, nunca, jamais);afirmação( sim, certamente); dúvida( talvez, provavelmente); modo( devagar, depressa)
Locução adverbial: expressão que vale por um adverbio. Exemplos:
Comi com prazer. Ela agiu com raiva.
.
Preposição
Termo que liga palavras, estabelecendo uma relação. Exemplos:
Livro de João( posse), falar sobre literatura( assunto) Vim de Minas( lugar).
 Boca sem dentes( ausência); blusa de cem reais.( preço)
Conjunção
Termo que liga duas palavras, dois membros de uma oração ou duas orações, estabelecendo cerras relações) Exemplos: E: exprime idéia de adição (aditiva). Mas: relaciona pensamentos em contraste ou oposição. Quando: conjunção temporal. Se: conjunção que exprime condição.
Interjeição
Vocábulo que traduz uma impressão súbita, como dor, susto, alívio, admiração. Exemplos:
Oba!: alegria, satisfação.
Ah!: alívio, alegria.
Psiu!: Ordena silêncio.

quinta-feira, 19 de março de 2015

CLASSE GRAMATICAL DO A

Emprego do A como
Artigo, pronome pessoal e preposição.




Furto de Flor
Carlos Drummond de Andrade

Furtei uma flor daquele jardim. O porteiro do edifício cochilava e eu furtei a flor.


Trouxe-a para casa e coloquei-a no copo com água. Logo senti que ela não estava feliz. O copo destina-se a beber, e flor não é para ser bebida.
Passei-a para o vaso, e notei que ela me agradecia, revelando melhor sua delicada composição. Quantas novidades há numa flor, se a contemplarmos bem.
Sendo autor do furto, eu assumira a obrigação de conservá-la. Renovei a água do vaso, mas a flor empalidecia. Temi por sua vida. Não adiantava restituí-la ao jardim. Nem apelar para o médico de flores. Eu a furtara, eu a via morrer.
Já murcha, e com a cor particular da morte, peguei-a docemente e fui depositá-la no jardim onde desabrochara. O porteiro estava atento e repreendeu-me:
_ Que ideia a sua, vir jogar lixo de sua casa neste jardim!



 (Contos Plausíveis. RJ, José Olympio)
1.      Observe que o “a” pertence a três classes gramaticais diferentes no texto   artigo, pronome pessoal e preposição.

No 1º. Parágrafo,  observe o emprego do a
1.      ARTIGO
  “Eu furtei a flor” – a determina o substantivo flor, portanto a é artigo.
2.      PRONOME PESSOAL
Já em “Trouxe-a para casa”  “coloquei-a no copo”( a substitui flor, portanto é um pronome pessoal oblíquo)
3.      PREPOSIÇÃO
“O   copo a beber”( o A está antes de um verbo ) neste caso, o A tem sentido de para , portanto A é preposição.

Exercícios

Continuando a leitura do texto, identifique a classe gramatical do A e justifique sua resposta.
1.    Quantas novidades há numa flor, se a contemplarmos bem.

2.      Eu assumira a obrigação de conservá-la.

3.      Renovei a água do vaso, mas a flor empalidecia.

4.      Não adiantava restituí-la ao jardim.

5.      Eu a furtara, eu a via morrer.



6.      e com a cor particular da morte, peguei-a docemente e fui depositá-la(...)

terça-feira, 10 de março de 2015

REGÊNCIA VERBAL E PRONOME RELATIVO


A regência verbal e o pronome relativo

 A maioria usa o relativo “ que”  para tudo.
Observe o erro de Regência verbal no texto acima:
..."o mesmo modelo que a Oposição optou(...)
corrigindo: ... o modelo pelo qual a Oposição optou(...) quem opta, opta por alguma coisa.

Outros exemplos.
                   1.       A mulher que eu jantei na casa dela é muito simpática.
                   2.       O colégio que estudo fica perto de casa.
                   3.       O dinheiro que necessito só entrará na conta o mês que vem.
                   4.       Este é o rapaz que eu confio.
                   5.       Ali fica o restaurante que eu almoçava todos os dias.
                   6.       Este é o rapaz que eu falei para você.
Nos casos acima é necessário verificar a regência dos verbos ;
1.       A mulher em cuja casa jantei( jantei na casa da mulher, não a mulher, isso é canibalismo)
2.        O colégio onde ou em que estudo ( estudo no colégio e não o colégio)
3.       O dinheiro de que ou do qual necessito ( quem necessita, necessita de alguma coisa ou de alguém)
4.       Este é o rapaz em quem confio.( quem confia, confia em alguém)
5.       Ali fica o restaurante onde ou em que eu almoçava ( almoçava no restaurante, não
o restaurante.)


 6.Este é o rapaz de quem lhe falei. ( falei do rapaz, não o rapaz.)

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

INTERTEXTUALIDADE

INTERTEXTUALIDADE - Paráfrase
Lendo o poema abaixo,você pode notar que ele se parece com o soneto de Vinícios de Moraes.
Observe que algumas palavras foram mudadas, porém o texto reafirma o tema( dedicação).



sábado, 21 de fevereiro de 2015

VIA LACTEA




Este soneto está mais para romântico do que para parnasiano.   É  essa postura eclética  de Bilac que me encanta...
Via Láctea 



"Ora (direis) ouvir estrelas! Certo
Perdeste o senso"! E eu vos direi, no entanto,
Que, para ouvi-las, muita vez desperto
E abro as janelas, pálido de espanto...

E conversamos toda a noite, enquanto
A via láctea, como um pálio aberto,
Cintila. E, ao vir do sol, saudoso e em pranto,
Inda as procuro pelo céu deserto.

Direis agora! "Tresloucado amigo!
Que conversas com elas? Que sentido
Tem o que dizem, quando estão contigo?"

E eu vos direi: "Amai para entendê-las:
Pois só quem ama pode ter ouvido
Capaz de ouvir e de entender estrelas".

Olavo Bilac

sábado, 14 de fevereiro de 2015

As contradições do amor fazem dese soneto o mais famoso de Camões. Diante desses paradoxos
( contradições simultâneas) o poeta indaga, mas não obtém respostas.

Amor É Fogo Que Arde Sem Se Ver

Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer;

É um não querer mais que bem querer;
É solitário andar por entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É cuidar que se ganha em se perder;

É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade,
Se tão contrário a si é o mesmo Amor?

Luís Vaz de Camões

SONETO

SONETO


SONETO

Soneto( medida nova) é uma composição poética que segue um modelo fixo ( poema com 4 estrofes: as duas primeiras de 4 versos e as duas últimas de 3 versos. O soneto foi trazido da Itália, no século XVI ,pelo português Sá de Miranda. Até então, a maioria dos poemas era composta de redondilhas( versos de 7  ou de 5 sílabas.A maioria dos sonetos são decassílabos, isto é, versos com 10 sílabas poéticas.
As sílabas poéticas, diferentes das sílabas gramaticais, são contadas até a última sílaba tônica


sílabas poéticas:
Al/ma /mi/nha/gen/til/que/te/par/tis//
 1   2    3    4     5    6   7    8   9   10

sílabas gramaticais:


Al/ma /mi/nha/gen/til/que/te/par/tis/te
 1   2    3    4     5    6   7    8   9   10 11


Camões , Gregório de Matos Guerra, Olavo Bilac e Vinícius de Moraes  foram grandes sonetistas.

Seguem alguns sonetos

Alma minha gentil, que te partiste
                                           Luís Vaz de Camões


1-    Alma minha gentil, que te partiste
2-   Tão cedo desta vida descontente,
3-   Repousa lá no Céu eternamente,
4-   E viva eu cá na terra sempre triste.

1-   Se lá no assento etéreo, onde subiste,
2-   Memória desta vida se consente,
3-   Não te esqueças daquele amor ardente
4-   Que já nos olhos meus tão puro viste.

1-   E se vires que pode merecer-te
2-   Alguma cousa a dor que me ficou
3-   Da mágoa, sem remédio, de perder-te,

1-   Roga a Deus, que teus anos encurtou,
2-   Que tão cedo de cá me leve a ver-te,
3-   Quão cedo de meus olhos te levou.

Desenganos da vida, metaforicamente
Gregório de matos Guerra


1- É a vaidade, Fábio, nesta vida,
2- Rosa, que da manhã lisonjeada,
3- Púrpuras mil, com ambição dourada,
4- Airosa rompe, arrasta presumida.

1- É planta, que de abril favorecida,
2- Por mares de soberba desatada,
2- Florida galeota empavesada,
4- Sulca ufana, navega destemida.


1-É nau enfim, que em breve ligeireza
2-Com presunção de Fênix generosa,
3-Galhardias apresta, alentos preza:


1-Mas ser planta, ser rosa, nau vistosa
2-De que importa, se aguarda sem defesa
3-Penha a nau, ferro a planta, tarde a rosa?


 Ouvir estrelas
Olavo Bilac

1-   "Ora (direis) ouvir estrelas! Certo
2-   Perdeste o senso!" E eu vos direi, no entanto,
3-   Que, para ouvi-las, muita vez desperto
4-   E abro as janelas, pálido de espanto ...

1-   E conversamos toda a noite, enquanto
2-   A via láctea, como um pálio aberto,
3-   Cintila. E, ao vir do sol, saudoso e em pranto,
4-   Inda as procuro pelo céu deserto.

1-   Direis agora: "Tresloucado amigo!
2-   Que conversas com elas? Que sentido
3-   Tem o que dizem, quando estão contigo?"

1-   E eu vos direi: "Amai para entendê-las!
2-   Pois só quem ama pode ter ouvido
3-   Capaz de ouvir e de entender estrelas."


Soneto de Fidelidade

Vinicius de Moraes


1 De tudo ao meu amor serei atento
2 Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
3 Que mesmo em face do maior encanto
4 Dele se encante mais meu pensamento.

1 Quero vivê-lo em cada vão momento
2 E em seu louvor hei de espalhar meu canto
3 E rir meu riso e derramar meu pranto
4 Ao seu pesar ou seu contentamento

1 E assim, quando mais tarde me procure
2 Quem sabe a morte, angústia de quem vive
3 Quem sabe a solidão, fim de quem ama

1 Eu possa me dizer do amor (que tive):
2 Que não seja imortal, posto que é chama
3 Mas que seja infinito enquanto dure.