sexta-feira, 15 de abril de 2011

Emprego do verbo no infinitivo

EMPREGO DO INFINITIVO

"O infinitivo constitui um dos casos mais discutidos da língua portuguesa", e "estabelecer regras para o uso de sua forma flexionada, por exemplo, é tarefa difícil", e, "em muitos casos, a opção é meramente estilística".
Pasquale Cipro Neto e Ulisses Infante


EMPREGO DO INFINITIVO IMPESSOAL

Empregamos o VERBO no infinitivo IMPESSOAL nos seguintes casos:

1. Quando apresenta uma ideia generalizada sem se referir a um sujeito determinado:

Amar faz bem à saúde.”
“É proibido impedir o sucesso dos outros.”
Ler e escrever é preciso”

2. Quando é regido de preposição e funciona como complemento de um substantivo, adjetivo ou verbo da oração anterior.

“Você não tem o direito de gritar comigo.”

“São exercícios difíceis de resolver.”

“Chamei Maria para trabalhar no projeto.”


3.  Nas locuções verbais:

a) "Os professores  não podem fazer sozinhos o trabalho de educar nossos filhos" (correto);


b) "Os professores  não podem fazerem sozinhos o trabalho de educar nossos filhos" (errado).

4. Quando sujeito do infinitivo é pronome oblíquo átono:
  "Deixei-os sair".
“Permita-me acompanhar você”
“Compete-nos resolver esta questão”


 EMPREGO DO INFINITIVO PESSOAL

1.   Quando se deseja enfatizar o sujeito :

“ E preciso treinares mais para seres campeão”(  tu)
“Importa que busquemos direções específicas”( nós)
“ Importa que busquem direções específicas”( eles)

2.   Quando  o infinitivo tem sujeito diferente do sujeito da outra oração. Ex.: "O chefe  repreendeu os funcionários, por faltarem durante o Carnaval". ( o sujeito de repreender é chefe e de faltar é funcionários)

3.   Também se emprega o infinitivo pessoal como recurso para indeterminar o sujeito.

4.   Ex.: "Ouvi falarem mal de você por aí".( não se sabe exatamente quem falou)



Observação

I)            "Quando na frase o verbo principal e o verbo infinito tiverem o mesmo sujeito, emprega-se o infinitivo impessoal".

Ex.: "Queremos sair agora".

“O suspeito deve solicitar permissão para deixar o país.”

“As crianças adoram comer chocolate”

II) "Quando os dois verbos possuem sujeitos diferentes, usa-se o infinitivo pessoal". Ex.: "Jesus  viu frutificarem seus ensinamentos na vida de seus discípulos” ( sujeito de ver( Jesus) e de frutificar
( ensinamentos)


Observação:


O infinitivo poderá variar ou não, a critério do som ou da elegância da frase, se vier precedido das preposições sem, de, a, para ou em". Exs.:

a) "Vamos com o mestre, sem nos desviar/desviarmos de seus ensinamentos.”

b) Alguns juraram fidelidade sem conhecerem/ conhecer seu senhor"

c) "Chamei duas pessoas para analisar/analisarem o projeto"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Junto e separado

Junto e separado O som pode ser o mesmo, mas a grafia e o significado são diferentes. Confira! 1.Porquanto Não me separo de você porqu...