quinta-feira, 16 de junho de 2011

VERBO - tempos e modos

Estudo do Verbo
Verbo
Mário Quintana
No princípio era o verbo. O verbo ser. Conjugava-se apenas no infinito. Ser, e nada mais.
Intransitivo absoluto.
Isso foi no princípio. Depois transigiu, e muito. Em
vários modos, tempos e pessoas. Ah, nem queiras saber
o que são as pessoas: eu, tu, ele, nós, vós, eles...
Principalmente eles!

1 INTRODUÇÃO
Conjugar verbos é  inerente ao ser humano.
Os verbos desempenham uma função importantíssima em qualquer língua, pois é  em torno deles que se organizam as orações e os períodos e se estrutura o pensamento.
Verbo significa, originariamente, "palavra". Daí a expressão “linguagem verbal” 
Conjugar um verbo é, portanto,  empregar a palavra.
2. CONCEITO
Verbo é a palavra que se flexiona em número (singular/plural), pessoa (eu, tu, ele, nós, vós, ele), modo (indicativo, subjuntivo, imperativo), tempo (presente, pretérito, futuro) e voz (ativa, passiva, reflexiva). O VERBO pode indicar ação (falo, corro), estado (sou feliz, estamos animados, ficamos surpresos), fenômeno natural (ventou muito, nevou).
Choveu muito.
O professor falou bem.
A criança correu.
O que caracteriza o verbo são suas flexões, e não seus possíveis significados.
Observe que palavras como fala, corrida, chuva são da mesma família de alguns verbos mencionados acima; mas não apresentam  todas as possibilidades de flexão que esses verbos possuem.
3. ESTRUTURA DAS FORMAS VERBAIS
Há três tipos de morfemas( elementos que formam) que participam da estrutura das formas verbais: o radical, a vogal temática e as desinências.
a) radical - é a base do verbo , elemento que indica o significado essencial do verbo: fal-ar , corr-er, part-ir
b) vogal temática - é o morfema que permite a ligação entre o radical e as desinências.
Em português, há três vogais temáticas:
-a- caracteriza os verbos da primeira conjugação: solt-a-r; deix-a-r; perdo-a-r;
-e- caracteriza os verbos da segunda conjugação: esquec-e-r;
sofr-e-r; viv-e-r.
-i-caracteriza os verbos da terceira conjugação:  assist-i-r; permit-i-r, decid-i-r.
Observação:
O verbo pôr e seus derivados (supor, depor, repor, compor, etc.) são considerados da segunda conjugação, pois sua vogal temática é -e-, obtida da forma portuguesa arcaica poer, do latim ponere;
Tema:   formado pelo radical + vogal temática.
Exemplo: canta; vende; parti
c) desinências - são morfemas( elementos) que se acrescentam ao tema para indicar as flexões do verbo. Há desinências número-pessoais ( número: singular e plural) e desinências modo-temporais( modo: indicativo, subjuntivo, imperativo) tempo: presente, pretérito e futuro)
falá-sse-mos > falá-: tema (radical + vogal temática) -sse-: desinência modo-temporal (indica o modo - subjuntivo - e o tempo – pretérito imperfeito - em que o verbo está conjugado) - mos: desinência número-pessoal (indica que o verbo se refere à primeira pessoa do plural)
Observação:
As desinências são sempre fixas, portanto podemos memorizar os tempos verbais por elas.
Por exemplo: -va é desinência(terminação) do pretérito imperfeito do indicativo dos verbos terminados em –ar falaVA

-RA:  mais-que-perfeito do indicativo: falarRA, vendeRA, , partiRA
-IA: para verbos terminados em –er; -ir (Vendia, partia)
-REI: desinência do futuro do presente do indicativo: falarei, venderei, partirei
-RIA: desinência do futuro do pretérito do indicativo: falaria, venderia, partiria
–STE: desinência do pretérito perfeito do indicativo: tu falaste, vendeste, partiste.
-STES – VÓS CANTASTES, VENDESTES, PARTISTES
–SSE: desinência do imperfeito do subjuntivo: falasse, vendesse, partisse.
-M , MARCA DE PLURAL eles jogaM

VERBOS REGULARES
Os chamados verbos regulares são aqueles que se flexionam seguindo o modelo que representa o tipo comum de conjugação, isto é, o paradigma.

Tomemos como exemplo os verbos PENSAR, VIVER, PERMITIR como paradigmas da 1ª, 2ª e 3ª conjugação, respectivamente. Eles são verbos regulares porque o radical de cada um deles se mantém em todas as formas do paradigma(modelo), além de suas terminações seguirem o modelo da conjugação a que pertencem.
Exemplo:
PENS-AR
Pens-o
Pens-as
Pens-a
Pens-amos
Pens-ais
Pens-am
VIV-ER
Viv-o
Viv-es
Viv-e
Viv-emos
Viv-eis
Viv-em
PERMIT-IR
Permit-o
Permit-es
Permit-e
Permit-imos
Permit-is
Permit-em



TEMPOS E MODOS VERBAIS

Emprego dos tempos e modos do verbo:
O tempo no modo INDICATIVO:
Presente: processo verbal se dá  no ato da fala. Ex: CANTO hoje no Municipal.  FAÇO revisão de texto.
ENSINO português e inglês.

Pretérito Perfeito: indica um fato concluído no passado. ESTUDEI muito ontem, pela manhã.
Ele comprou um caro zero.
Fizemos o trabalho em equipe.

Pretérito Imperfeito: indica um fato que NÃO chega a ser totalmente 
concluído. Ela ESTUDAVA quando  o namorado chegou.
Ou indica um processo contínuo. 
Minha mãe sempre vendia produtos na feira.

Pretérito mais - que- Perfeito: expressa um fato concluído antes de outro também concluído. Ex. Quando a família CHEGOU, o ladrão já LEVARA( havia levado) tudo. Note: Quando a família chegou( passado). O ladrão já tinha levado tudo,  ou seja, levou antes que a família chegasse)

Futuro do Presente: indica um fato que ainda não se realizou. VIAJAREI no Natal.

Futuro do Pretérito: indica um futuro em hipótese, suposto, condicional. VIAJARIA se tivesse dinheiro.

O tempo no modo SUBJUNTIVO indica uma HIPÓTESE

a)Presente: fatos presentes ou futuros quando há incerteza ou dúvida: Talvez ela fale a verdade. Duvido que ele esteja doente.

b)Pretérito imperfeito: indica hipótese.
 Era provável  que ela não aceitasse meu convite.
Ou condição. Se Ronaldinho jogasse, teríamos vencido.

c) Futuro: indica condição.
Quando você tiver tempo, faremos aquele trabalho.  


O MODO IMPERATIVO é largamente usado nas propagandas como forma de apelo ao consumidor, O IMPERATIVO pode também indicar ordem, pedido ou conselho,
FORMAÇÃO DO IMPERATIVO
Formado do presente do indicativo( tu e vós menos a letra  S) e do presente do subjuntivo( ele, nós, eles)
Presente do indicativo
Eu penso
Tu pensaS                             
Ele pensa
Nós pensamos
Vós pensaiS                       
Eles pensam
Imperativo afirmativo
 não se conjuga na 1a.
Pensa  (tu)
Pense (você)
Pensemos (nós)
Pensai (vós)
Pensem (vocês )
Presente do subjuntivo
Pense
Penses
Pense
Pensemos
Penseis
pensem


O imperativo negativo é formado do presente do subjuntivo , + as palavras ( não, nunca, jamais)
Exemplo;
Não penses (tu)
Não penses ( você)
Não pensemos (nós)
Não penseis ( vós)
Não pensem ( vocês)
OBSERVAÇÃO
 O imperativo afirmativo do verbo SER é uma exceção, isto é, não é formado como os demais verbos.
Exemplo:
Sê (tu)
Seja (você)
Sejamos ( nós)
Sede (vós)

Sejam (vocês)





2 comentários:

  1. Fatima teu blog é rico e uma benção para nos ajudar... Seus abençoe to te seguindo...

    ResponderExcluir

Turma do MARIO Dica para conjugar 5 verbos terminados em -iar que diferem dos demais com a mesma terminação. M ediar A nsiar ...