sexta-feira, 8 de abril de 2011

Regência verbal

Sintaxe de regência

REGÊNCIA VERBAL
verbos  que por si só possuem sentido completo, enquanto outros  necessitam de complementos para que tenham sentido. É como se disséssemos:

"Compramos"
 Compramos o quê? Note que falta dizer o que foi comprado. Por isso, quem compra, compra alguma coisa( ou alguém) se pensarmos nas propinas recebidas ultimamente.
Compramos uma fazenda no interior de são Paulo.

"Preciso"

Preciso  do quê? precisamos de alguma coisa ou de alguém.
Quando falamos em regência verbal, queremos dizer que o verbo é o termo regente e o complemento( objeto direto ou indireto) é o  termo regido.

Precisamos de gente honesta no poder.

Verbos  que regem complementos com preposição obrigatória são  classificados como transitivos indiretos.Exemplos:
Assisti ao filme.
Gosto do filme
Confio em minha irmã.
Verbos que regem complementos sem preposição obrigatória são classificados como transitivos diretos
Alguém viu minha carteira?
Comprei um carro novo.

Observação:
Há verbos intransitivos que regem preposição, mas não necessitam de complemento( objeto).
Exemplo.
Moro em Campinas.
              ( adjunto adverbial lugar)
Jantamos no restaurante da esquina.
                         (adjunto adverbial  lugar )
O professor chegou de carro.
                                                     (adjunto adverbial de meio de transporte)

Na linguagem coloquial, é comum vermos construções do tipo:

I.              A mulher que eu jantei na casa dela é muito generosa.
II.             Minha irmã é a pessoa que mais confio.
III.            O colégio que estudo é um dos melhores da cidade.

Atentando para o significado das frases acima, percebemos que ele é bem estranho, não é?
Em I,  a mulher foi servida como prato principal.
Em II, Confia a irmã?
Em III, o colégio virou objeto de estudo.

De acordo com a norma culta devemos corrigi-las para:
I. A mulher em cuja casa jantei é muito generosa.( casa da mulher)
II. Minha irmã é a pessoa em quem mais confio.( confio em alguém)
III.O colégio onde estudo é um dos melhores da cidade.( colégio = lugar)
Observação

REGÊNCIA VERBAL: CASOS ESPECIAIS.
Um mesmo verbo pode apresentar regências diferentes dependendo do contexto em que estão inseridos.
AGRADAR{satisfazer, ser agradável} transitivo indireto – (com preposição a) O filme não agradou ao público. 
O resultado não agradou aos alunos.

AGRADAR:mimar, fazer carinho, contentar > transitivo direto – (sem preposição) 
A mãe agradou a criança chorona.( a é artigo)


AGRADAR{causar boa impressão}intransitivo(sem preposição) 
Seu comportamento não agrada, você é muito prepotente.

ASPIRAR{ desejar} transitivo indireto – ( preposição a )
 Ele aspira ao cargo de gerente de vendas.

ASPIRAR {respirar ou sugar} transitivo direto– ( sem preposição)
 Aspirei o ar das montanhas.
A faxineira aspirou o pó do tapete.

ASSISTIR { ver} transitivo indireto – (  preposição a) 
Assistimos ao filme “Joana D’Arc.”

ASSISTIR{auxiliar} transitivo direto – ( sem preposição) 
O professor assistiu o aluno durante a aula.

ASSISTIR{ morar }intransitivo –(  preposição em) 
O médico assiste no interior.

IMPLICAR{ ser implicante }transitivo indireto –( preposição com
Não quero implicar com você.

IMPLICAR { resultar}transitivo direto (sem preposição)
 Sua atitude implicou o afastamento de seu melhor amigo.

PAGAR e PERDOAR{referente a coisas} transitivo direto sem preposição, porém referente a pessoas é transitivo indireto e rege  preposição 
A paciente pagou a consulta ao médico. Ainda não posso pagar a você. 
Ainda não posso lhe pagar. 
Perdoei a dívida ao infeliz. 
Preciso perdoar-lhe.

VISAR{ mirar, apontar o alvo,  pôr o visto }transitivo direto( sem preposição) 
O caixa do banco  visou meu cheque.

VISAR{ desejar}transitivo indireto – rege preposição 
Visamos ao progresso do país.

 Há , ainda, alguns verbos que costumam causar dúvida quanto a seu emprego:
NAMORAR – sempre V. T. D. Eu namoro Felizberto, não com Felizberto.

PREFERIR – ( prefere-se, simplesmente, nada de preferir mais ou menos, mil vezes, et.c.O verbo preferir já está indicando que você prefere uma coisa a outra. Ex. Apesar de tudo, prefiro Português a Matemática. Nunca prefiro mil vezes Português  do que matemática.
Observação: Se você apenas preferir Português, eu já fico feliz; não precisa preferir mil vezes...

SIMPATIZAR E ANTIPATIZAR – sempre VTI (preposição com)
  Não se usa os pronomes ( me, se) :Simpatizo com você, mas antipatizo com ela., e não Simpatizo-me com ela...



Bibliografia consultada:
Cipro Neto, Pasquale

    Gramática da língua Portuguesa/Pasquale & Ulisses, - São Paulo, Scipione, 1988



 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Junto e separado

Junto e separado O som pode ser o mesmo, mas a grafia e o significado são diferentes. Confira! 1.Porquanto Não me separo de você porqu...